A toxina botulínica, conhecida principalmente pela marca BOTOX, é um medicamento desenvolvido no início dos anos 70s, com a finalidade de corrigir o estrabismo. Em 1987, o relato de uma paciente que referiu a melhora das rugas glabelares após o tratamento de blefaroespasmo com a toxina, despertou o interesse do seu uso para fins estéticos. No ano de 1992 foi publicado o primeiro estudo do uso cosmético da toxina botulínica. Atualmente é o tratamento cosmético mais realizado no mundo.

O seu principal uso é para atenuar as rugas faciais, bem como pode ser usada para tratar as rugas do pescoço e decote e corrigir o sorriso gengival. Há também o uso terapêutico no tratamento do bruxismo, da cefaléia tensional e sequelas de AVC.

O seu mecanismo de ação é causar o relaxamento da musculatura, dessa forma atenuando as rugas de expressão bem como outras sintomas decorrentes de contrações musculares excessivas como no caso do bruxismo.

O início do efeito é observado após 24h e pode levar até 5 dias. Espera-se até 15 dias para notar o resultado final da aplicação, podendo ser necessária uma dose de reforço. 

Em média a duração do tratamento é entre 4 a 6 meses. Alguns fatores interferem nessa duração como: prática intensa de desportos, uso de alguns medicamentos e algumas doenças.

Indicações: rugas de expressão, sorriso gengival, bruxismo, cefaléia tensional, estrabismo, blefaroespasmo (contrações palpebrais involuntárias), sequelas de AVC.

Contra-indicações: gravidez, miastenia gravis, infecção no local, alergia prévia ao medicamento.

Reações adversas: dor de cabeça, equimoses (nódoas negras), hematomas, alergia (muito rara)

Recomendações pós-procedimento: evitar deitar-se ou praticar atividade física nas 4h seguintes, evitar sauna, praia ou piscina nas primeiras 24h, não massagear a região tratada, evitar o uso de cosméticos nas primeiras 24h. Usar fotoproteção solar. Caso sinta dor de cabeça, poderá fazer uso de analgésicos.